Aqui só tem História

Aqui só tem História

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Igreja de Saint -Leu e Saint Gilles em Les Halles - Paris

           Durante a semana que estivemos em Paris, em julho de 2018, nosso bairro foi Les Halles, no 2˚Arrendamento. 
Todos os dias, ao começarmos nossa maratona de visita a essa cidade tão linda e especial, passávamos pela igreja de Saint Gilles, na rua Saint Denis. Todos os dias ela estava fechada. 
Vários fatores  nos chamaram a atenção em relação a essa construção: 
- a arquitetura é claramente gótica, 
- A vizinhança se apossou da igreja, outras construções praticamente engoliram o edifício, que ficou espremido e com pouco destaque. 
- Dois sex shops, um na frente e outro na lateral. 
Pensamos que talvez a igreja não estivesse mais em funcionamento... mas eis que, em nosso último dia, ela estava aberta! E que emoção foi poder visitá-la! 

A Rua Saint Denis era percurso de peregrinações que levavam até a abadia medieval do mesmo nome. 

                 Na Abadia de Saint Denis encontra-se o sepulcro de São Denis, um bispo de Paris e de todos os reis franceses. Ali também os reis eram coroados. Após a coroação, o novo monarca voltava à cidade, seguido pelo cortejo real, pela mesma via.
  



Saint Gilles foi um eremita que viveu no século VII, muito popular na região da Provance. Sua festa é celebrada em 1 de setembro. 
Saint Leu foi bispo de Sens e também é celebrado em 1 de setembro, ambos dividem a consagração dessa igreja, cuja construção iniciou-se em 1235. Essa estrutura sofreu transformações frequentes, no século XIV, deixando as vigas aparentes. 
Em 1611, cria-se o coro atual.







                                            


Em 1727 são reabilitados os corredores laterais, com a criação das abóbadas de gesso para as quatro primeiras traves, segundo o modelo das traves mais antigas, em pedra. 


As capelas laterais são do século XIX


Desde 1820, a igreja de Saint Leu é a igreja capitular dos Cavaleiros do Santo sepulcro, que ali se encontram para assembleias e orações pela Terra Santa. Esses cavaleiros trouxeram as relíquias de Santa Helena para a igreja, hoje elas se encontram em um relicário, na cripta. Às sextas-feiras, a igreja recebe os cristãos ortodoxos, que ali se encontram para a veneração dessa relíquia. 
A igreja sofreu muito com o desaparecimento do mercado das Halles e as transformações pelas quais o bairro passou desde então, tornando-se ponto de passagem entre o Forum des Halles e o Centro Georges Pompidou. 


Informações em livre tradução do material informativo oferecido pela igreja Saint-Leu e Saint Gilles

Para Saber mais: https://www.saintleuparis.catholique.fr/?oaq%5Bpassed%5D=1&oaq%5Border%5D=latest