Aqui só tem História

Aqui só tem História

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Roteiro de Estudos para 7˚s anos: Avaliação Trimestral 30/10

Roteiro de Estudos: Capítulos 15 ao 17 Grandes Navegações ao Encontro das Diferenças: muitas perdas para alguns, muitos ganhos para outros

Queridos,

O Roteiro abaixo deve ser feito no caderno, ele valerá como nota na avaliação do caderno (quem não tiver, perderá 0.5), mas o mais importante, ele serve como uma ferramenta para você revisar conteúdos, levantar dúvidas e aprimorar seu processo de estudo/aprendizagem!

Capítulo 15: Grandes Navegações

1) Elencar  e explicar interesses nas Grandes navegações dos seguintes grupos sociais:(páginas 148 e 149)

a) O Rei:
b) Os Nobres;
c) Os Comerciantes;
d) A Igreja;
e) A população em geral

2) Rever páginas 148/149, atividade com documentos (TR)
3) Rever TR página 153 - Razões que fizeram de Portugal pioneiro no processo de Navegações.
4) Rever Atividade 2 página 157, poema de Fernando Pessoa página 153, análise e conclusão.
5) Elencar e explicar os motivos que fizeram os europeus a lançarem-se às Navegações, mesmo sendo uma aventura tão perigosa.

Capítulo 16: O encontro entre culturas: Perdas e Ganhos

6) Como foi o encontro entre portugueses e africanos no século XVI (página 104 e 105)
7) Como podemos relacionar esse encontro ao ETNOCENTRISMO?
8) Quem são as chamadas civilizações pré-Colombianas? (paginas 108 e 109), por que recebem esse nome?
9) Compare a organização das civilizações pré-Colombianas a organização europeia.
10) Como foi o encontro entre portugueses e os habitantes do atual território brasileiro, as tribos caçadoras-coletoras? (páginas 113 a 115),

Capítulo 17:

11) Reveja em seu caderno as atividades do Para Refletir página 118/119.
12) Atenção ao quadro síntese da página 119 que elenca os fatores da vitória europeia sobre as populações americanas.
13) Relacione a Mita e a Encomienda à exploração dos nativos na América Espanhola (páginas 120/121)
14) Reveja a Atividade com documentos 1 páginas 121 e 122 e analise como os autores se posicionam diante da conquista.

Lá vai o Mão Molenga, vale tudo para ilustrar!

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Grécia - Principais conceitos que se precisa saber para garantir um bom estudo!

Atualizado em 27/09/2018


Olá, alunos do 6 ano!
Que tal aprender mais sobre a Grécia?


Os apontamentos abaixo podem te ajudar a verificar se você sabe mesmo tudo sobre a Grécia, vamos lá?

1.  Explicar por que podemos dizer que o poder na Grécia era "humanizado".
2. Apresentar a importância da palavra para a prática política grega.  
3. Explicar os limites da cidadania na Grécia Antiga. 
4. Apresentar como era a vida das mulheres nessa sociedade. 

Esparta e Atenas: duas experiências:

5. O que significa cidades-Estados?
6. Diferenciar as duas principais cidades (pólis) gregas: Atenas e Esparta.
A tabela abaixo pode te ajudar a organizar as informações:


Atenas
Esparta
Localização



Principal característica da cidade


Quem era considerado cidadão?


Organização Política



Organização Econômica



Sociedade



Posição ocupada pelas mulheres




7. Caracterizar a Guerra do Peloponeso.
8. Explicar por que essa Guerra contribuiu para o domínio macedônico das pólis Gregas. 
Para fazer exercícios e testar seus conhecimentos sobre a Grécia Antiga, click aqui: http://aquisotemhistoria.blogspot.com/2012/10/6ano-roteiro-grecia.html


segunda-feira, 6 de outubro de 2014

6˚ano: Exercícios História da África

Leia os textos propostos com atenção. Elabore respostas completas!

1) Leia o texto e faça o que se pede: A fome
Alimento não falta. Hoje, no mundo, é produzida mais comida do que necessitam todos os humanos reunidos. Mesmo assim, 850 milhões de pessoas passam fome no planeta porque não dispõem de recursos para produzir ou comprar o próprio alimento. Duzentos milhões dessas pessoas encontram-se na África.
Nas últimas décadas, em todo o mundo, a África foi o único continente onde a produção agrícola diminuiu. Dos 53 países africanos, 43 enfrentam o problema, sem reunir condições para produzir um importar alimento. Isso apesar de mais da metade da população trabalhar na agricultura.
Com investimento, o problema poderia ser solucionado. Alguns especialistas acreditam, mesmo, que a produção agrícola poderia tornar-se a chave do desenvolvimento local. Uma das soluções seria investir numa produção irrigada, quatro vezes mais rentável que a convencional.
Para isso, seria preciso construir poços, barragens e canais de irrigação e drenagem, sobretudo em pequenas comunidades. A montagem desse aparato pode colocar fim à fome, garantir emprego para todo o ano e aumentar a riqueza nacional, com a cultura de cereais, frutas e hortaliças de alto valor no mercado internacional.
(Texto escrito a partir de: Jacques Diouf. “Desenvolvimento agrícola: o trunfo possível para a África”. Citado em Le monde diplomatique. Edição brasileira. Dezembro de 2004.)
De acordo com o texto e seus conhecimentos a cerca do assunto, responda as questões que seguem.
a) De acordo com o texto, o  que provoca a fome no mundo hoje?
b) Qual a situação atual da África no que se refere à fome?
c) Quais técnicas utilizadas pelos egípcios antigos podem auxiliar na erradicação da fome hoje na África? 


2) Observe a ilustração abaixo e sintetize seus conhecimentos sobre a África com base na seguinte afirmativa: “Uma África, várias Áfricas.”
3) Leia o fragmento abaixo e responda:

“ Ninguém é contador de histórias a menos que possa relatar um fato tal qual como aconteceu realmente, de modo que seus ouvintes, assim como ele próprio, tornem-se testemunhas vivas e ativas deste fato. Ora, todo africano é, até certo ponto, um contador de histórias…”
                                                                                            Hampaté Bâ. História Geral da África.
a) A qual tipo de fonte histórica Hampaté Bâ faz referência no relato acima? Explique.
b) Com base no fragmento acima, explique a frase do mesmo auto, Hampaté Bâ: “Na África, cada ancião que morre é uma biblioteca que se queima.” 

4) Leia o fragmento e responda às questões a seguir:
         O africano modificou e criou os cenários onde viveu. Fundou aldeias, vilas e cidades, reinos e impérios. Aperfeiçoou diversas formas arquitetônicas. São exemplos desta diversidade: as tendas baixas, de couro e esteiras, dos tuaregues, a igreja da Lalibela, na Etiópia, talhada em um único bloco de pedra, as cabanas com base circular e cobertura cônica de palha, choupanas de forma quadrada ou retangular, as casas com terraços, as residências da etnia hauça, de paredes ricamente enfeitadas, os palácios de formato complexo, e tantos outros.

SILVA, Alberto da Costa. A enxada e a lança. Rio de Janeiro. Nova Fronteira, 1996 p. 24 (adaptado)

           
a) Considerando o que você aprendeu sobre a África, por que os grupos africanos não desenvolveram apenas um tipo de moradia? Explique.

b) O que são grupos étnicos? Qual a importância destes grupos para o estudo da História da África?


Respostas: 


1. a)  De acordo com o texto, 850 milhões de pessoas passam fome no planeta porque não dispõem de recursos para produzir ou comprar o próprio alimento.
b) A maior parte dos que passam fome no mundo, duzentos milhões de pessoas, encontram-se na África, embora a maioria da população nesse continente, trabalhe com a agricultura.
c) No Egito Antigo, a construção de poços, barragens e canais de irrigação e drenagem, sobretudo em pequenas comunidades, garantia a enorme produção de alimentos na região do Nilo e garantia a produção de alimentos em abundância à população.

2. A África é um continente de enormes proporções, por isso, uma África, no entanto, a enorme variedade étnica-cultural e diversidade geográfica a torna várias Áfricas.

3. a) Hampaté Bâ faz menção à fonte oral, ou seja, a transmissão de conhecimento pelos contadores de histórias.
b) Os contadores de histórias, os anciões, guardam consigo as tradições e histórias de seu povo, apesar de transmitir muito desse conhecimento oralmente, quando morrem, inevitavelmente, muito do que sabem e conhecem, são levados com eles.

4. A diversidade de culturas e paisagens no enorme continente africano fez com que muitas formas de moradia fossem desenvolvidas pelos diferentes povos que habitam o continente, seria impossível que desenvolvessem, em todo continente, apenas um tipo.
b) Grupos étnicos são grupos de pessoas que se identificam umas com as outras a partir de semelhanças culturais ou biológicas.

Curiosidades:

Grupos étnicos africanos, em ordem alfabética:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_grupos_%C3%A9tnicos_da_%C3%81frica

domingo, 5 de outubro de 2014

7˚ano: correção da PD: Renascimento Cultural e Reforma Religiosa

Avaliação 7˚ano B: Lembrando a realização da atividade foi a Recuperação Contínua da mesma. 

1) Leia atentamente.

“A pintura da Capela Sistina foi restaurada durante 15 anos, tendo sido aberta ao público em abril de 1994. Calcula-se em 4 milhões de dólares o custo dessa obra, que foi financiada por uma rede de televisão japonesa. O resultado não agradou a todos. Alguns estranharam a claridade das cores nas pinturas que, segundo eles, não corresponderia à concepção original, que teria cores mais escuras.” PROENÇA, Graça. O Renascimento. São Paulo: Ática, 1998.
Defina as seguintes características das obras Renascentistas com base em seus conhecimentos sobre a Capela Sistina: (0.5)
Realismo das Figuras: Simetria, perspectiva, claro e escuro, busca pela perfeição, Antropocentrismo (Valorização do homem, da beleza, da perfeição humana).
Técnica da Perspectiva: Ponto de Fuga, domínio matemático perfeito, técnicas geométricas, garante profundidade ao observador.
Valorização da Arquitetura greco-romana: retomada dos padrões clássicos, utilização de colunas e frontões, abóbodas.
Geral: dificuldades em compreender o enunciado!
2) Leia atentamente: “Em minha juventude o tempo ainda era tenebroso e cheirava à infelicidade e à calamidade dos godos, que haviam destruído a boa literatura; mas pela vontade divina, devolveram-se às letras, na minha época, a luz e a dignidade. Agora, todas as disciplinas foram restituídas à sua pureza e as línguas, instauradas: o grego, sem o qual é uma vergonha alguém dizer-se sábio,...o latino; as expressões tão elegantes e corretas de uso, que foram inventadas em meu tempo por inspiração divina...” Rabelais escreve ao seu filho Pantagruel.
a) Releia a frase grifada. A que período histórico ela se refere? Quais as características de deste período? (0.5)
O texto se refere à transição entre a Idade Média e o Renascimento. As características são as mudanças, como a retomada de ideias da Antiguidade, o uso do grego e do latim.  
b) Explique o reconhecimento da racionalidade humana (HUMANISMO/ANTROPOCENTRISMO) no período. (0.5)
Humanismo: Valorização do Homem/ Antropocentrismo: Homem é o centro do universo, senhor de suas escolhas. Nesse período, deixou-se para trás o TEOCENTRISMO (Deus/Religião é o centro) e passou-se a valorizar a razão humana. 

3) O que eram as indulgências? Qual o posicionamento de Lutero diante delas? (0.5)
As indulgências era o perdão dos pecados vendido pela Igreja Católica.  Lutero condenava a venda de indulgências e pregava que o perdão dos pecados deveria ser atingido por meio de boas ações. Também acreditava que o homem nascia predestinado.

4) Com relação às atividades desenvolvidas ela burguesia (comércio e empréstimos a juros), quais eram, respectivamente, as opiniões da Igreja Católica, de Lutero e de Calvino? – (0.5)


Igreja Católica
Lutero
Calvino
Comércio


condenava

condenava
aprovava
Empréstimos a juros




condenava
condenava


aprovava






5) Entre 1545 e 1563, os cardeais da Igreja Católica, sob a direção do papa, reuniram-se na cidade de Trento, na Itália, para discutir as reformas. Qual o objetivo do Concílio de Trento? Explique. (0.5)
O Concílio de Trento foi uma reunião da Igreja Católica para impedir a expansão da Reforma Protestante. A Igreja estabeleceu mecanismos para retomar os fiéis, como o Índex (queima dos livros proibidos), a Companhia de Jesus (catequese) e a intensificação do Tribunal do Santo Ofício (Inquisição) que julgava e condenava os culpados (fogueira).

6)  Complete com V (verdadeiro) ou F (falso):
(0.25)
a) (V ) Segundo a Reforma, a pessoa é salva por meio da fé e não pelas obras que pratica.
b) (F) Segundo a Reforma, a única fonte da verdade é a tradição ensinada pela Igreja.
A Reforma prega uma religião diferente da pregada pela Igreja Católica
c) (V) O aumento de lucros e riquezas por parte da burguesia era recusado pela Igreja.
d) (F) As pessoas consideradas hereges eram fiéis aos ensinamentos da Igreja.
Herege = pecador, o que não segue os ensinamentos da Igreja Católica.
e) (V) Os reis precisavam aumentar seu poder, mas viam na força da Igreja um obstáculo para conquistar esse objetivo.