Fórum Romano

Fórum Romano

domingo, 22 de março de 2015

1˚ano: Grécia + atividade 300



Para o relatório 300 de Esparta:
Formato de pesquisa: IMPORTANTE: Capa, desenvolvimento, conclusão, bibliografia
Desenvolvimento do texto: 
a) Como ocorre a construção do ideal espartano (quem eram esses guerreiros, que filosofia norteavam suas vidas, tipo de treinamento...)
b) Código de Honra/conduta
c) Guerra: reação da população frente a uma ameaça externa;
d) Visão do outro: o estrangeiro. 
e) Comparação entre o homem grego e o persa

Para Ampliar: Leve em conta as informações contidas nos documentos abaixo: 





Entrega: 02/04 - Atividade poderá ser feita em dupla!

Roteiro de Estudos: organizar os conteúdos e estudar para a P2:





quarta-feira, 11 de março de 2015

6˚s anos: As Cápsulas do Tempo

Essa semana fechamos as cápsulas do tempo dos 6˚s anos A, B e C... agora nossas cartas para o futuro e as diversas fontes que ela contém só serão revistas novamente em 2018. Até lá esperamos que muitos de nossos sonhos e projetos possam ter se concretizado!
As cápsulas do tempo enchem as pessoas de curiosidade, pois guardam memórias de uma época, todas as vezes que são descobertas causam excitação. Podem ser grandes, pequenas ou até um apartamento todo, como o encontrado em Paris em 2010.
No nosso caso, guardará as memórias desses meninos e meninas recém chegados ao 6˚ano, saídos do Ensino Fundamental 1, ainda transitando entre ser criança ou pré-adolescente. Quando as abrirem, em 2018, já serão adolescentes, estarão terminando o 9˚ano e quase chegando no Ensino Médio, por isso a abertura será tão interessante! Ver o que lhe era caro quando você ainda era criança, ler uma letra que já foi sua, verificar se os sonhos permanecem os mesmos... 
Vamos esperar 2018!
Pesquisei algumas cápsulas famosas, não deixe de conferir os links!









De todas as minhas pesquisas a que mais adorei foi a do apartamento de Marthe de Florian, em Paris. Sou apaixonada por esses momentos congelados no tempo, mesmo vendo imagens de como seria viver no passado, uma descoberta como essa não tem preço, tudo neste apartamento esteve intocado há mais de 70 anos!
Marthe de Florian foi uma atriz, demimondaine, ou cortesã que viveu momentos de glória e fama no final do século XIX. Teve alguns amantes famosos, vivia em meio ao luxo e seu apartamento ficava próximo ao Ópera Garnier, no centro da cidade. A bélle époque está por toda a parte!
Em algum momento, durante a década de 1940, com medo dos horrores da guerra e, provavelmente, com a aproximação das tropas nazistas de ocupação, sua neta e herdeira, moradora do apartamento, o trancou e foi viver no interior. Nunca mais voltou!
Madame de Florian, a neta, morreu aos 91 anos, em 2010, com isso foi necessário inventariar suas posses, dessa forma encontraram essa preciosidade!Uma cápsula do tempo de valor inestimável!






A pintura acima estava pendurada em uma das salas do apartamento, os especialistas logo a notaram e iniciaram a busca por sua autoria. A linda mulher com o vestido de musselina rosa era, sem dúvidas Madame Florian, mas quem seria seu autor?
Analisando as muitas cartas de amor guardadas no apartamento, chegou-se a conclusão: Giovani Boldini, importante pintor italiano do final do século XIX, famoso por pintar retratos de pessoas ricas e casas monárquicas!
A pintura foi a leilão e o valor chegou aos 2.1 milhões de euros!

Para saber mais:
https://parisapartment.wordpress.com/category/marthe-de-florian/
https://parisapartment.wordpress.com/2010/10/07/urban-archaeology-sleeping-beautys-paris-apartment-discovered/
http://teensleuth.com/blog/?p=25108
http://www.fatobasico.com.br/blog/tag/paris/



terça-feira, 10 de março de 2015

9˚ano: Estudo do Meio para São Paulo

Pessoal,

Está chegando nosso Estudo do Meio! Nossa capital é um misto de muitas coisas, muita gente, muitos tipos de construções, muitos carros, muita diversidade!
Usaremos apenas o material em anexo durante o estudo, a apostila será complementar e utilizada em sala de aula.
Para baixar o arquivo, que está disponível no moodle também, é necessário fazer um cadastro no slideshare e é gratuito, não se preocupem.
Faremos a observação de um edifício histórico. Escolham o que mais lhes chamar a atenção...
 

Teremos 2 etapas avaliativas, a primeira será a entrega da ficha de avaliação, a segunda deve ser a atividade nas duplas ou trios:
Olhares sobre São Paulo, para realiza-la, siga os passos abaixo:
1) Tire fotos artísticas durante o estudo, capriche nos ângulos e nos espaços escolhidos,
2) Escolha trechos de uma música ou poema que tenha a cidade como cenário,
3) Faça uma montagem em uma folha de A4 ou meia cartolina;
4) Seja criativo!

Dicas:






quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

As malas esquecidas de Willard Lunatic Asylum

                              
Essa semana li uma matéria no site http://www.ideafixa.com/o-conteudo-de-400-malas-descobertas-em-um-asilo-para-doentes-mentais-abandonado/ que me deixou fascinada. 400 malas foram fotografadas em um asilo para doentes mentais dos Estados Unidos, eram malas esquecidas de ex-paciêntes, internados entre o final do século XIX e início do XX. 
Pesquisando mais sobre o tema, encontrei mais informações sobre as malas fotografadas por Jon Crispin. http://revistazum.com.br/colunistas/viagens-sem-volta/
O Willard Lunatic Asylum era um asilo para doentes mentais nas cercanias de Nova York que funcionava desde o século XIX encerrando suas atividades apenas em 1995.
 Ter um doente mental (depressão, alucinações, tristeza, baixo desempenho cerebral)  na família era motivo de vergonha e essas pessoas eram levadas para esses locais. Em geral, as famílias não mais visitavam seus parentes após a internação, ali viveram o restante de suas vidas. Após a morte eram enterrados no próprio local,  permanecendo apagados e esquecidos. 
 Essas histórias sempre me fascinaram, seja por serem incrivelmente tristes, seja pelo mistério:quem eram essas pessoas? O que pensavam? O que sentiam? E essas famílias, como puderam abandonar seus entes queridos dessa forma?
O fotógrafo Jon Crispin coordenou esse incrível projeto de resgate da identidade desses internos.  


Proposta de atividade para os 6˚s anos:

Escolha uma mala: 

Mala 1: (clique para ampliar)




Mala 2: 



Mala 3: 


 


Mala 4:



 Etapas:

1) Escolha uma das malas.
2) Analise os objetos ali contidos. Você pode utilizar o dicionário inglês-português e traduzir eventuais textos ou títulos de livros;
3) Com base nos objetos, levante hipóteses:
a) O proprietário da mala era um homem ou uma mulher? Explique sua escolha.
b) Seria rico ou pobre? Explique.
c) Qual (is) objeto (s) lhe chama mais a atenção? Por quê?

* Lembre-se: você pode acessar os links acima e saber mais sobre os internos e objetos, inclusive seus primeiros nomes.

Bom Trabalho a todos :)

1˚ano: Pré-História à Antiguidade Oriental

Oi pessoal;Seguem os slides de aula, uma material adicional sobre as pinturas rupestres de Lascaux, na França e uma lista de exercício, como combinamos em aula, apenas o exercício de interpretação deverá ser entregue! Bom estudos a todos;

Lascaux Cave Art

3˚ano: aula 2 a 8 - Antiguidade Clássica à Europa Feudal

Oi gente;

Segue o material das aulas 2 a 8... eficiente essa professora heim????
Fiz uma lista adicional de Grécia e Roma com gabarito ara quem quiser aprofundar.
Bom estudo;


2˚ano: Iluminismo e Revolução americana





2˚ano independência eua cap28 from Kerol Brombal

Leiam os textos e faça o que se pede a seguir, lembre-se folha separada e respostas lindamente caprichadas! 

Voltaire e a desigualdade

            Voltaire escreveu romances, peças teatrais, além de trabalhos sobre filosofia e ciências. Sempre, em seus textos, ele manifesta críticas ácidas e irônicas contra reis, nobres, ministros, religiões, teorias científicas e filosóficas. O trecho a seguir foi retirado do livro Dicionário Filosófico, de 1764, onde discorre sobre a desigualdade: 
            “O que deve um cão a um cão, um cavalo a um cavalo? Nada. Nenhum animal depende de seu semelhante. Tendo, porém, o homem recebido o raio da divindade a que se chama Razão, qual foi o resultado? Ser escravo em quase toda a terra. Se o mundo fosse o que parece ser, isto é, se em toda parte os homens encontrassem subsistência fácil e certa e clima apropriado à sua natureza, impossível teria sido a um homem servir-se de outro. (...) 
            No estado natural de que gozam os quadrúpedes, aves, répteis, tão feliz como eles seria o homem, e a dominação, quimera, absurdo em que ninguém pensaria: para que  servidores se não tivésseis necessidade de nenhum serviço? (...) Todos os homens seriam necessariamente iguais, se não tivessem necessidades. A miséria que avassala a nossa espécie subordina o homem ao homem – o verdadeiro mal não é a desigualdade: é a dependência. Pouco importa chamar tal homem Sua Alteza, tal outro Sua Santidade. Duro, porém, é um servir o outro. (...) Impossível neste mundo miserável, que a sociedade humana não seja dividida em duas classes, uma de opressores, outra de oprimidos. Essas duas classes subdividem-se em mil outras (...) Nem todos os oprimidos são absolutamente desgraçados. A maior parte nasce nesse estado, e o trabalho contínuo impede-os de sentir toda a miséria da sua própria situação. 
            Todo o homem nasce com forte inclinação para o domínio, a riqueza, o prazer e, sobretudo a indolência (...) Tal como é, é impossível o gênero humano subsistir, a menos que haja uma infinidade de homens úteis que nada possuam. Porque, claro é que homem satisfeito não deixará sua terra para vir lavrar a vossa. (...) Igualdade é, pois, a  coisa mais natural e ao mesmo tempo mais fantasiosa. Como se excedem em tudo que deles dependa, os homens exageram essa desigualdade”. 

                                                         VOLTAIRE, Os Pensadores. V. 23. São Paulo: Abril Cultural, 1973. P. 223-224. Adaptado) 

1)    Pode-se afirmar que o texto de Voltaire é um texto iluminista? Apresente argumentos do texto para validar sua resposta. 
2)    Como Voltaire apresenta a desigualdade e a dependência? Relacione às informações à sociedade do período (século XVIII). 

Montesquieu e a divisão dos poderes

            “Há, em cada Estado, três espécies de poderes: o poder legislativo, o poder executivo das coisas que dependem do direito das gentes, e o executivo das que dependem do direito civil. Pelo primeiro, o príncipe ou magistrado que faz as leis por certo tempo ou para sempre e corrige as que estão feitas. Pelo segundo,  faz a paz ou  a guerra, envia ou recebe embaixadas, estabelece a segurança (...) Pelo terceiro, pune os crimes ou julga as querelas dos indivíduos.(...) 
A liberdade política, num cidadão, é esta tranquilidade de espírito que provém da opinião que cada um possui de sua segurança, para que tenham esta liberdade, cumpre que o governo seja de tal modo, que um cidadão não possa temer outro cidadão. Quando na mesma pessoa ou no mesmo corpo de magistratura o poder legislativo está reunido ao poder executivo, não existe liberdade, pois se pode temer que o mesmo monarca ou o mesmo senado apenas estabeleçam as leis tiranicamente. Se num Estado livre todo homem que supõe ter uma alma livre a si próprio, é necessário que o povo, no seu conjunto, possua o poder legislativo”. 

                                 ( MONTESQUIEU, O Espírito das Leis, Livro XI, Cap. VI)

1)    Pode-se afirmar que o texto iluminista? Apresente argumentos do texto para validar sua resposta. 
2)    É possível afirmar que, neste trecho, Montesquieu faz uma oposição entre liberdade e absolutismo? Justifique. 
3)    Levando em conta seus conhecimentos sobre as teorias apresentadas por Montesquieu, compare essas ideias às apresentadas por Voltaire no trecho: “Todo o homem nasce com forte inclinação para o domínio, a riqueza, o prazer e, sobretudo a indolência”. Explique. 

Rousseau e a propriedade

            Do livro: Da origem das desigualdades entre os Homens:

            “O primeiro que concebeu a ideia de cercar uma parcela de terra e dizer “Isso é meu!” e encontrou gente suficientemente ingênua que lhe desse crédito, foi o autêntico fundador da sociedade civil. De quantos delitos, guerras, assassinatos, desgraças e horrores teria livrado o gênero humano aquele que, arrancando as estacas, enchendo os sulcos divisórios, gritasse: “Cuidado, não dê crédito a este trapaceiro; você perecerá se esquecer de que a terra pertence a todos”. (...) 
Comparei, sem preconceito, o estado do homem civilizado com o do homem selvagem, e investigai, seu o puderdes, como além de sua maldade, das suas necessidades e da sua miséria, o primeiro abriu novas portas à miséria e a morte. Se considerardes o sofrimento de espírito que nos consomem, as paixões violentas que nos esgotam e nos desolam, os trabalhos excessivos de que os pobres estão sobrecarregados, a moleza ainda mais perigosa à qual os ricos se abandonam, uns morrendo de necessidades e outros de excessos; se pensardes nas monstruosas misturas de alimentos, na sua  perniciosa condimentação, nos alimentos corrompidos, nas drogas falsificadas, das velhacarias dos que as vendem, nos erros daqueles que as administram (...) e prestardes atenção nas moléstias epidêmicas oriundas da falta de ar das multidões de seres humanos reunidos; (...) “
1) Quais os aspectos iluministas presentes no texto? Explique suas escolhas. 
2) Por que para Rousseau a propriedade privada seria a origem de todos os males sociais?


Exercício 4: 
Leia a seguir os versos do poeta inglês do século XVII Alexander Pope: 

“A natureza e suas leis permaneciam na obscuridade. 
Deus disse; Faça-se Newton
E tudo se tornou Luz”
(ROBERTS, J. M. History of the role. Oxford University Press, 1993) 

a)     De acordo com o texto, indique uma característica do Iluminismo. 
b)    “Século das Luzes”: é assim que se costuma designar o século XVIII. A que deve-se esse título?   
          



segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Roteiro de Estudos para 7˚s anos: Avaliação Trimestral 30/10

Roteiro de Estudos: Capítulos 15 ao 17 Grandes Navegações ao Encontro das Diferenças: muitas perdas para alguns, muitos ganhos para outros

Queridos,

O Roteiro abaixo deve ser feito no caderno, ele valerá como nota na avaliação do caderno (quem não tiver, perderá 0.5), mas o mais importante, ele serve como uma ferramenta para você revisar conteúdos, levantar dúvidas e aprimorar seu processo de estudo/aprendizagem!

Capítulo 15: Grandes Navegações

1) Elencar  e explicar interesses nas Grandes navegações dos seguintes grupos sociais:(páginas 148 e 149)

a) O Rei:
b) Os Nobres;
c) Os Comerciantes;
d) A Igreja;
e) A população em geral

2) Rever páginas 148/149, atividade com documentos (TR)
3) Rever TR página 153 - Razões que fizeram de Portugal pioneiro no processo de Navegações.
4) Rever Atividade 2 página 157, poema de Fernando Pessoa página 153, análise e conclusão.
5) Elencar e explicar os motivos que fizeram os europeus a lançarem-se às Navegações, mesmo sendo uma aventura tão perigosa.

Capítulo 16: O encontro entre culturas: Perdas e Ganhos

6) Como foi o encontro entre portugueses e africanos no século XVI (página 104 e 105)
7) Como podemos relacionar esse encontro ao ETNOCENTRISMO?
8) Quem são as chamadas civilizações pré-Colombianas? (paginas 108 e 109), por que recebem esse nome?
9) Compare a organização das civilizações pré-Colombianas a organização europeia.
10) Como foi o encontro entre portugueses e os habitantes do atual território brasileiro, as tribos caçadoras-coletoras? (páginas 113 a 115),

Capítulo 17:

11) Reveja em seu caderno as atividades do Para Refletir página 118/119.
12) Atenção ao quadro síntese da página 119 que elenca os fatores da vitória europeia sobre as populações americanas.
13) Relacione a Mita e a Encomienda à exploração dos nativos na América Espanhola (páginas 120/121)
14) Reveja a Atividade com documentos 1 páginas 121 e 122 e analise como os autores se posicionam diante da conquista.

Lá vai o Mão Molenga, vale tudo para ilustrar!

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Grécia: revisão e roteiro para avaliação Trimestral

Olás galerinha do 6˚ano;
Estudando História no feriadão??? Muito bom!! Não deixem de assistir ao vídeo que postei logo abaixo:


1) Volte as tarefas Roteiros do Capítulo 15: Grécia: uma civilização que marcou a História e comece seus estudos pelo direcionamento das questões propostas em sala. 
2) Por que podemos dizer que o poder na Grécia era "humanizado"? (página 95)
3) Qual a importância da palavra para a prática política grega?Explique. 
4) Releia as páginas 95 a 97 e explique quais os limites da cidadania na Grécia Antiga. 
5) Explique como era a vida das mulheres nessa sociedade. 

Capítulo 16: Esparta e Atenas: duas experiências:

6) O que significa cidades-Estados? (página 94)
7) Volte a tabela do caderno e reveja as principais informações sobre essas duas cidades. 

8) Esparta e Atenas eram as mais importantes cidades da Grécia Antiga e as diferenças entre essas duas cidades eram  grandes.

Coloque a letra E se referir a Esparta
Coloque a letra A se referir a Atenas

(    ) Havia preocupação com o desenvolvimento físico e com o desenvolvimento intelectual: “ a mente sã em corpo são”.
(    ) A Apela era a assembléia política da cidade e a Gerúsia era a assembléia dos anciãos, responsável pela elaboração das leis.
(    ) A educação era responsabilidade dos pais e a criança aprendia a leitura e a escrita.
(   ) Os jovens freqüentavam a escola até aos 18 anos e a partir dessa idade podiam participar da Eclésia (assembléia política).


9) Levando em conta que:

  • os metecos eram os estrangeiros, que se dedicavam ao comércio em Atenas;
  • os cidadãos de Atenas eram conhecidos como eupátridas e os de Esparta eram os espartanos;
  • os periecos eram homens livres que se dedicavam ao comércio e ao artesanato em Esparta;
  • Atenas possuía em torno de 200 mil escravos;
  • os hilotas eram os servos em Esparta 
Construa duas pirâmides:
  • uma da sociedade ateniense
  • uma da sociedade espartana.
10) As cidades gregas antigas, apesar da proximidade cultural e geográfica, tinham uma grande rivalidade entre si que, volta e meia, resultavam em guerras, como a do Peloponeso, a mais famosa delas. Com base nisso:
a)     CARACTERIZE a Guerra do Peloponeso.
b)    IDENTIFIQUE sua principal conseqüência para a cidade de Atenas.

11) Ao longo dos tempos os gregos se notabilizaram pela grandeza de suas obras no campo cultural.

A partir da palavra-chave CULTURA, complete a cruzadinha de acordo com a legenda dada: o objetivo dessa atividade é ampliar o conhecimento adquirido e debatido em sala, portanto, você poderá pesquisar na internet e obter as respostas corretas.

1.
C
2.
U
3.
L
4.
T
5.
U
6.
R
7.
A


Legenda:

1. Importante filósofo grego que refletiu sobre os valores morais e o aprimoramento do caráter humano.
2. Principal deus dos gregos, soberano do mundo, que reinava no Monte Olimpo.
3. Gênero artístico, representado nas obras de grandes artistas como Fídias e Míron.
4. Manifestação artística que surgiu na Grécia e teve representantes como Ésquilo, Sófocles e Aristófanes.
5. Matemático grego que desenvolveu importantes princípios da Geometria.
6. Templo localizado em Atenas, considerado o melhor exemplo da arquitetura grega.
7. Ciência na qual se destacou Hipócrates, famoso pelo seu Juramento.



Assista aos vídeos e reveja os principais conceitos trabalhados! Bons estudos e até a volta! 



segunda-feira, 6 de outubro de 2014

6˚ano: Rec Contínua África

1) Leia o texto e faça o que se pede: A fome
Alimento não falta. Hoje, no mundo, é produzida mais comida do que necessitam todos os humanos reunidos. Mesmo assim, 850 milhões de pessoas passam fome no planeta porque não dispõem de recursos para produzir ou comprar o próprio alimento. Duzentos milhões dessas pessoas encontram-se na África.
Nas últimas décadas, em todo o mundo, a África foi o único continente onde a produção agrícola diminuiu. Dos 53 países africanos, 43 enfrentam o problema, sem reunir condições para produzir um importar alimento. Isso apesar de mais da metade da população trabalhar na agricultura.
Com investimento, o problema poderia ser solucionado. Alguns especialistas acreditam, mesmo, que a produção agrícola poderia tornar-se a chave do desenvolvimento local. Uma das soluções seria investir numa produção irrigada, quatro vezes mais rentável que a convencional.
Para isso, seria preciso construir poços, barragens e canais de irrigação e drenagem, sobretudo em pequenas comunidades. A montagem desse aparato pode colocar fim à fome, garantir emprego para todo o ano e aumentar a riqueza nacional, com a cultura de cereais, frutas e hortaliças de alto valor no mercado internacional.
(Texto escrito a partir de: Jacques Diouf. “Desenvolvimento agrícola: o trunfo possível para a África”. Citado em Le monde diplomatique. Edição brasileira. Dezembro de 2004.)
De acordo com o texto e seus conhecimentos a cerca do assunto, responda as questões que seguem.
a) O que provoca a fome no mundo hoje?
b) Qual a situação atual da África no que se refere à fome?
c) Quais técnicas utilizadas pelos egípcios antigos podem auxiliar na erradicação da fome hoje na África? 


2) Observe a ilustração abaixo e sintetize seus conhecimentos sobre a África com base na seguinte afirmativa: “Uma África, várias Áfricas.”
3) Leia o fragmento abaixo e responda:

“ Ninguém é contador de histórias a menos que possa relatar um fato tal qual como aconteceu realmente, de modo que seus ouvintes, assim como ele próprio, tornem-se testemunhas vivas e ativas deste fato. Ora, todo africano é, até certo ponto, um contador de histórias…”
                                                                                            Hampaté Bâ. História Geral da África.
a) A qual tipo de fonte histórica Hampaté Bâ faz referência no relato acima? Explique.
b) Com base no fragmento acima, explique a frase do mesmo auto, Hampaté Bâ: “Na África, cada ancião que morre é uma biblioteca que se queima.” 

4) Leia o fragmento e responda às questões a seguir:
         O africano modificou e criou os cenários onde viveu. Fundou aldeias, vilas e cidades, reinos e impérios. Aperfeiçoou diversas formas arquitetônicas. São exemplos desta diversidade: as tendas baixas, de couro e esteiras, dos tuaregues, a igreja da Lalibela, na Etiópia, talhada em um único bloco de pedra, as cabanas com base circular e cobertura cônica de palha, choupanas de forma quadrada ou retangular, as casas com terraços, as residências da etnia hauça, de paredes ricamente enfeitadas, os palácios de formato complexo, e tantos outros.

SILVA, Alberto da Costa. A enxada e a lança. Rio de Janeiro. Nova Fronteira, 1996 p. 24 (adaptado)

           
a) Considerando o que você aprendeu sobre a África, por que os grupos africanos não desenvolveram apenas um tipo de moradia? Explique.

b) O que são grupos étnicos? Qual a importância destes grupos para o estudo da História da África?