Aqui só tem História

Aqui só tem História

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

8˚ano: Sugestão de Exercício - Napoleão o Estrategista


Temática: Napoleão Bonaparte 


Objeto do conhecimento: A Revolução Francesa e seus desdobramentos

Habilidades:
(EF08H104) Identificar e relacionar os processos da Revolução Francesa e seus desdobramentos na Europa e no mundo. 
(EF08H106) Aplicar os conceitos de Estado, nação, território e país para o entendimento de conflitos e tensões. 

Exercício Proposto

Documento 1:

Imagem elaborada pelo Museu de Armas de Paris para ilustrar a exposição Napoleão Estrategista (Napoléon Stratège)

Musée de lÁrmée – Paris – Exposição:(06 de abril a 22 de julho de 2018) – acervo pessoal

Documento 2:

      Tecnicamente os velhos exércitos eram mais bem treinados e disciplinados, e onde essas qualidades eram decisivas, como na guerra naval, os franceses eram sensivelmente inferiores. Eles eram bons corsários e rápidos incursores, mas não podiam compensar a falta de um número suficiente de marujos treinados e sobretudo oficiais navais competentes, classe que havia sido dizimada com a Revolução, pois constituía-se amplamente de elementos provenientes da pequena nobreza, que não poderia ser rapidamente improvisada. 
    Em seis grandes e oito pequenas batalhas navais entre britânicos e franceses, as baixas francesas foram cerca de dez vezes maiores que as dos ingleses. Mas no que refere-se à organização improvisada, mobilidade, flexibilidade e acima de tudo pura coragem ofensiva e moral de lutas, os franceses não tinham rivais. Estas vantagens não dependem do gênio militar de ninguém, pois o saldo militar dos franceses antes que Napoleão tomasse o poder era bastante impressionante, e a qualidade média do generalato francês não era excepcional. 
     Mas isto deve ter em parte dependido do rejuvenescimento dos quadros militares franceses dentro e fora do país, o que é uma das principais consequências de qualquer revolução. 

HOBSBAWN, Eric. A Era das Revoluções: Eropa 1789 -1848. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014. p. 146.

a) A partir da observação do documento 1, como os organizadores da exposição: Napoléon Stratège, apresentam Bonaparte? 
b) Segundo o documento 2, por que os exércitos franceses eram inferiores na guerra naval? Destaque uma frase no texto que evidencie a conclusão do autor nessa inferioridade. 
c) Quais eram as qualidades do novo exército francês?
d) Os documentos apresentados são complementares ou contraditórios? Explique. 

Para saber mais sobre a exposição:  https://www.musee-armee.fr/au-programme/expositions/detail/napoleon-stratege.html



Respostas: 


a) Os organizadores da exposição apresentam Bonaparte como um grande estrategista. Pode-se notar que as grandes vitórias francesas durante as guerras que ocorreram durante a Revolução contra as diversas Coligações da Santa Aliança e as ocorridas durante sue governo estão representadas como gravuras em seu cérebro, ou seja, fruto de sua engenhosa estratégia. 
b) O autor apresenta a inferioridade naval francesa como resultado da Revolução de 1789, uma vez que a maioria dos integrantes da marinha eram provenientes da nobreza e haviam sido dizimados durante o processo revolucionário.

c) Hobsbawn elogia aspectos do novo exército francês no que refere-se à organização, improvisação, mobilidade, flexibilidade e, acima de tudo, coragem ofensiva e moral de luta.

d) Os documentos são contraditórios, enquanto a gravura apresenta Bonaparte como um engenhoso estrategista militar, Hobsbawn apresenta o sucesso do exército francês como resultado do rejuvenescimento dos quadros militares franceses dentro e fora do país, que ocorreria com ou sem Bonaparte. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário